A GLOBO ERRA AO NÃO CHAMAR DE ALIANZ…? 

por: José Maria de Aquino

Não raras vezes, ouço e leio pessoas reclamando dos horários dos jogos exibidos pela televisão, especialmente os das 22 horas. Acham tarde. Querem que seja às 20, no mais tardar às 21 horas. Reclamam, também, da exclusividade detida pela Rede Globo, que divide as transmissões – não, naturalmente, o preço pago – com a Bandeirantes. Gostariam que todas as emissoras pudessem – desde que quisessem – exibir os jogos. Melhor ainda, escolher o “seu”jogo.
Seria o ideal, se…Se não houvesse um custo a ser pago aos clubes, via CBF. Se não houvesse um custo com a transmissão – com o pessoal envolvido, satélite etc  Se existissem patrocinadores para tantos…Seria o ideal.Maior número de jogos para se escolher. Se um não agrada, clic e logo vem outro…Mais profissionais trabalhando.
Só que não é bem assim. Jogos às 20 horas, com ou sem transmissão pela televisão inpossibilitaria uma enorme quantidade de torcedores irem aos estádios – numa cidade como São Paulo, Rio e outras capitais. Mesmo aceitando ir direto do serviço, o tempo seria curto. Jogo às 21 a barriga roncaria da mesma forma. Exigiria mudanças profundas na grade das emissoras, exatamente no horário nobre, o que mais rende a elas. As que não têm programas caros no horário, também não têm grana para pagar pelos jogos. A televisão exibe jogos às 22 horas para quem está em casa, não para quem quer ir ao estádio.
A emissora que compra os direitos pode até exigir que eles sejam marcados para as 22 horas. Podem, mas a CBF, que vende os campeonatos, não é obrigada a aceitar as exigências. Ela pode responder: “os jogos serão às 21 horas. Se não quiser, vendo para outra”. Apareceriam outras? Existem outras? Vale a pena tentar?
​  Quando o Brasileiro era comandado pelo Clube dos 13 e o marketing comandado por Jaime Franco, início da década de 90, foi feito assim. O campeonato foi vendido para o SBT e por um preço muito superior ao então pago. Só que…Só que consideraram melhor ter um pássaro na mão que dois voando.
Reclamam que a Globo não deixa que chamem as arenas pelos nomes das empresas que pagam aos clubes para coloocar suas marcas. É o caso do Alianz, no Palmeiras. A proibição vale, também, para os clubes de volei, basquete etc que são patrocinados por empresas/produtos. O argumento é de que, agindo assim a Globo não ajuda os clubes venderem suas arenas.  O Corinthians falou muito que arrecadaria 400 milhões dos árabes e até agora…
Certo ou errado? Negócio é negócio. Quando uma empresa paga para expor sua marca, o faz visando lucro, não por amor, no caso, ao esporte ou ao clube. Se calcula que terceiros divulgarão sua marca gratuitamente, comete um erro. O que ela paga ao clube é infinitamente menos do que pagaria em publicidade veiculada Vai quem quer, ou está pensando mais pra frente. Quem sabe…

(((Voltarei ao assunto)))

One thought on “A GLOBO ERRA AO NÃO CHAMAR DE ALIANZ…? ”

  1. Acho que deve dizer o nome correto das arenas, dos times de vôlei, enfim, ganância à parte, a informação deve ser corretíssima.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>