Referencias: O amor como ponto de partida

Cinema e histórias reais de Jundiaí foram referências para o desenvolvimento do projeto.

Quando o assunto é “amor” há várias histórias para serem contadas, mas como definir que tipo de amor levar para as telas sempre é a questão. Depois de definido o tema, a equipe de pesquisa de O Amor e a Cidade, recorreu a outros meios de comunicação para idealizar e desenvolver o projeto.

Como referência maior, o cinema com suas inúmeras histórias de amor, teve como ponto de partida o projeto Cities Of Love, idealizado pelo cineasta francês Emmanuel Benbihy, que resultou nos filmes Paris, Eu Te Amo; Nova York, Eu Te Amo e Rio, Eu Te Amo. Assim como nessas obras, a cidade é o ponto forte de todo o projeto.

O Amor e a Cidade ainda se inspirou nas histórias reais de Jundiaí e em seus problemas para criar as tramas do especial. O que terá havido com Maria dos Pacotes, ícone da cidade, que segundo relatos não teve o casamento realizado? E se ela tivesse tido uma segunda chance, de na maturidade, encontrar seu amor do passado? O Amor que supera o tempo, é tema de Outono, uma das histórias que compõe o especial.

Inspirado na realidade, que ninguém quer ver, o projeto criado pela Prefeitura de Jundiaí, de deixar roupas espalhados em pontos estratégicos, para que moradores de rua a utilizassem durante o frio, levou o criador da série a criar uma trama que relata o que podemos fazer por aqueles que não conhecemos e como o amor une todos os seres.

Histórias que podem acontecer com vocês, todos os dias, são a grande essência de O Amor e a Cidade, que estreia dia 05/12 as 18h pela TV Rede Paulista, canal 22 da Net, via UHF, CaboJundiaí e pelo site oficial da emissora. Saiba mais em Facebook Home 21 e Instagran.

Maquiagem e Caracterização: A aposta no “menos é mais”

A maquiadora e caracterizadora Helena Landim explica como aplica sua arte na caracterização dos personagens de O Amor e a Cidade.
A maquiadora e caracterizadora Helena Landim explica como aplica sua arte na caracterização dos personagens de O Amor e a Cidade.

Sombras, bases e corretivos fazem parte da rotina de qualquer set de filmagem e com O Amor e a Cidade não é diferente. Sob os cuidados da maquiadora e caracterizadora Helena Landim podemos ver o tamanho e magnitude desse processo, que transforma  atores em personagens repletos de detalhes.

Segundo Helena, sua maior referência veio da telenovela “I Love Paraisópolis”, que representa bem o cotidiano dos paulistanos, que são bem próximos dos jundiaienses. Sob o seu processo de criação, a maquiadora explica quais foram suas adversidades e facilidades durante as gravações: “A maquiagem mais complexa foi a do mendigo, que foi concluída depois de muitas pesquisas. As facilidades se deram por serem makes leves, mais cotidianas e as dificuldades somente por alguns dias de gravações estarem em temperaturas mais quentes e manter os atores maquiados de baixo do sol não é fácil”.

A maquiadora que também caracterizou os personagens, explica o conceito por trás de seu trabalho, que poderá ser acompanhado pela TV Rede Paulista a partir de 05 de dezembro: “O primordial em todo trabalho é se lembrar que menos é mais. Muitas pessoas cometem alguns exageros na hora de caprichar nas makes, então para não fazer feio aposte em cores claras e claro sem exagerar, o nude, por exemplo, é simples e chiquérrimo.

Para quem deseja estar sempre bem maquiada, Helena dá algumas dicas simples, porém essenciais: “Para corrigir defeitos é bom sempre usar um corretivo, mas, na faltar do corretivo, você pode utilizar a sua própria base: passe uma segunda camada do produto nas olheiras, espinhas e marcas no rosto.

Ah e é sempre bom lembrar que para uma maquiagem perfeita tem que seguir 3 regrinhas básicas sobre pele: limpeza (a pele tem que estar bem limpa), hidratação (use hidrante específico para o rosto e para o seu tipo de pele) e proteção (não esqueça protetor solar sempre!).

Quer saber mais, não deixe de acompanhar as novidades do blog e curtir nosso perfil no Facebook e Instagran.

Figurino: A segunda pele

Com a proposta de ser o mais natural possível, figurino explora nuances delicadas de seus personagens.

 Quem assistir ao especial #OAmoreaCidade pode ter certeza que nada ali não tenha um significado além do que é apresentado. Com o figurino não é diferente e o que o publico poderá conferir a partir do dia 05/12 pela TV Rede Paulista, é que as peças complementam e dizem muito do personagem e sua história.

Com uma proposta de trazer o personagem para a realidade de seu intérprete, os atores compartilharam ideias com a direção e juntos chegaram ao figurino de seus personagens. O processo além de ajudar os atores a enxergarem com clareza seus personagens permitiu uma criação mutua, onde o figurino, ou “segunda pele” como foi denominado pela direção, ajudou no reconhecimento dos dramas desses personagens tão próximos da nossa realidade.

O figurino bem representado através das estações do ano, não seguiram tendências de grandes estilistas e sim foram desenvolvidos conforme a realidade em que os personagens viviam. A produção acredita que não adiantar criar uma “tendência” que fuja da nossa realidade. Tem que ser o dia a dia. Isso dá mais veracidade.

Com uma paleta de cores bem definidas, o projeto foge do que se espera de cada estação do ano. “Não é porque é primavera que vamos abusar de cores que remetam flores, nem porque é verão que usaremos cores claras e vibrantes. Queremos a realidade. Abusamos do que vemos em lojas”, afirma a produção.

Quer saber mais? Não deixe de nos acompanhar pelo Facebook e pelo Instagran. A sempre novidades por lá.

Tudo de verdade

Produção foge de estúdios e cenários prontos, para que o telespectador possa se identificar e visitar lugares comuns da cidade.

“Fuja do padrão”, esse é o lema que a produção de #OAmoreaCidade colocou para si própria quando começou a desenvolver o projeto. Diferente de outras produções, que tem a maioria das cenas gravadas em estúdio e algumas realizadas em lugares reais, O Amor e a Cidade é totalmente realizada em lugares que os jundiaienses passam diariamente.

A proposta de gravar “em loco” surgiu da vontade de aproximar o telespectador para as histórias que serão ambientadas nas quatro estações do ano, em lugares já conhecidos.

Jardim Botânico e Serra do Japi são cenários fundamentais para a história da Primavera.

IMG_0975

IMG_0971

foto 1

Já o Bamboo, tradicional restaurante da cidade, que fica localizado na Rua Anchieta n° 679, foi palco para uma das cenas de Inverno. A história também teve cenas rodadas no centenário teatro Polytheama, que possui 1124 lugares.

IMG_1298

IMG_1379

Camera360_2015_10_3_111137

IMG_1320

IMG-20151011-WA0018

IMG-20151011-WA0012

A Construtora Santa Ângela, que desde 1983 investe em Jundiaí, apoiou a Home 21 nas gravações de Meia Estação, uma história emocionante sobre a disputa pela guarda de uma linda garotinha. Quer conhecer o local onde a história se passa? Clique aqui

IMG_1337

Sight_2015_10_08_102326_033

IMG_1307

Sight_2015_10_08_112050_104

IMG_1311

IMG_1305

Ponto de encontro de jovens em Jundiaí, o Maxi Shopping Jundiaí  foi a locação ideal para as cenas de Edu, Júlia e demais personagens da história de Verão. O Shopping que possui mais 240 lojas, cinemas e praça de alimentação, não poderia deixar de ser palco dessa linda história.

IMG_1715

IMG_1734

IMG_1749
Fotos: Adão Mota // Matheus Martins // Helena Landim // Bianca Aguila

Quer saber mais? Não deixe de nos seguir no Instagram e curtir a pagina Oficial da Home 21 no Facebook.

O Que é o Amor?

o amor
Especial homenageia as diversas formas de amor tendo Jundiaí como palco.

Jundiaí, a conhecida “Terra da Uva”, a partir de dezembro também será palco de lindas histórias de amor, que serão levadas ao ar pela nossa querida TV Rede Paulista em homenagem aos 360 anos da cidade. Mas para você, o que é o amor?

Para responder a essa pergunta, o especial O Amor e a Cidade contará cinco histórias de amor que são ambientadas em locais conhecidos dos jundiaienses, trazendo o público mais próximo da realidade e mostrando para quem não conhece, as belezas locais.

Divididas entre as estações do ano, O Amor e a Cidade mostrará as várias formas de amor e como as pessoas reagem a esse sentimento tão verdadeiro, mas que é sempre inesperado e transformador. Fugindo de clichês de amor carnal, o especial contará histórias de amor ao próximo, amor em tempos de internet, sobre o amor juvenil, sobre amizade (que não deixa de ser uma forma de amor) e contará até com uma história direcionada ao público da terceira idade. Enfim, histórias de amor não faltarão.

Criado por Emerson Ghaspar, a idéia do especial surgiu da vontade de homenagear a cidade de Jundiaí e de uma pergunta: “Responda em uma só palavra: O que é amor?” Através das respostas das pessoas, o autor desenvolveu os personagens e tramas que contasse a grandiosidade desse sentimento e de como ele abrange e modifica os demais.  “As pessoas acreditam que o amor é uma mentira, que é ilusão, mas esquecem que o amor que realmente importa é o que nasce de dentro delas. Você não pode achar que o que sente é uma ilusão, uma mentira, é real. O amor que vem de dentro de você é sim o verdadeiro, forte, não se pode negar. Então porque não vivê-lo? As pessoas acham que o amor machuca, mas, na verdade, ele salva, muda. É nisso que acreditamos e queremos mostrar.”

O Amor e a Cidade era um projeto que inicialmente foi criado para internet, mas que ganhou o apoio da TV Rede Paulista, que curiosamente completa 10 anos em 2015, e irá ao ar no dia 05 de dezembro as 18h. Você não pode perder. Mas e para você: O que é o amor? Responda nos comentários com uma só palavra.

Para saber as novidades sobre O Amor e a Cidade não deixe de curtir o Facebook da produtora Home 21.

IMG_1417

ad2
fotos: Adão Mota e Matheus Martins
1